sexta-feira, fevereiro 02, 2007

Eu Amo a Vida e Voto Sim!

Por isso não me venham com demagogias. Isto não é um referendo para aferir quem gosta do Aborto e quem não gosta do Aborto. É um referendo para perceber se queremos continuar a penalizar as mulheres por recorrerem ao Aborto ou se pretendemos evoluir e tratar os problemas como deve ser.

A meu ver o Aborto é o último recurso, a última alternativa para mulheres que se deparam com uma gravidez que se poderá, se já não for, tornar num problema tanto para ela como também, futuramente, para o bebé.

Duvido muito que o Aborto seja como tomar a "pílula do Dia Seguinte", (que já de si não é propriamente fácil, em termos hormonais... I mean), não é concerteza algo que se faça de ânimo leve e sem qualquer tipo de sequelas para quem o faz. Acho que só por si isso deve bastar para demover as mulheres da nossa sociedade de transformarem o Aborto num método contraceptivo. Mas se isso não for suficiente e o aconselhamento não demover as mulheres de o fazerem, ao menos que lhes sejam dadas condições para o fazerem com um mínimo de dignidade.

Incomoda-me que se faça uma separação entre o Pessoal Demoníaco e Pró-Assassinatos do Sim, e o Pessoal Bonzinho e Que Ama o Próximo.

Incomoda-me que se distribuam flyers com comparações estatísticas em que se mostra um claro aumento do número de abortos, em diferentes Países, aquando da Liberalização do Aborto nesses Países. Parece escapar-lhes que se não era legal é normal que os dados existentes fossem em tão pouco número.

Incomoda-me que falem no Aborto como método Contraceptivo quando toda a gente sabe que Contraceptivo quer dizer:

do Ing. contraceptive

adj.,
que impede a concepção;
s. m.,
o método utilizado para esse efeito (pílula, diafragma, dispositivo intra-uterino, preservativo, etc. ).

in Dicionário da Língua Portuguesa On-Line




Não gosto de ser extremista mas por vezes sinto-me um pouco extremista neste assunto, não que tenha nada contra as pessoas que são a favor do Não (para além de, obviamente, discordar), mas incomodam-me alguns dos argumentos divulgados na Comunicação Social, alguns "pseudo"-argumentos, aliás...

Mas não posso fazer mais do que desabafar... e não faltar ao Referendo.

Por isso dia 11 de Fevereiro vou votar Sim no referendo, à pergunta:

"Concorda com a despenalização da interrupção voluntária da gravidez, se realizada, por opção da mulher, nas primeiras 10 semanas, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado?"

Alguns Links (Escolhidos a Dedo Por mim e Portanto bastante Parciais) Que Vale a Pena Visitar e Ler, sobre o Assunto:

2 comentários:

Caldeira disse...

Tu dá-le caraças! Concordo com o que dizes e apesar de compreender algumas opiniões do não, pronuncio-me pelo sim... talvez esteja enganado mas só o futuro o dirá! ehehehe

weevil disse...

Ora bem, demorei a ler isto tudo :)
Só saliento o facto de, antes de ires votar em seja que resposta for, que vais votar. E isso é que é mais importante acima de tudo!
Com tanto que se fala e que se gasta num referendo, e sobretudo com tanto que se discute, é de lamentar que, quando há a oportunidade de cumprir o dever de cidadania que cada um de nós tem, não se o cumpra!