quarta-feira, abril 25, 2007

25 de Abril - 33 Anos - NUNCA ESQUECER!



###### LER AO SOM DA MUSICA!!!########

Hoje é dia 25 de Abril, foi há 33 anos que se deu a Revolução dos Cravos, foi há 33 anos que os Portugueses recuperaram a sua liberdade! Foi há 33 anos que os Portugueses recuperaram, entre outras liberdades, a de expressão, para o bem e para o mal.

Há 33 anos eu não era nascido, muito longe disso, mesmo assim desde pequeno que os meus pais me ensinaram o que foi o 25 de Abril e me deram uma ideia de como eram as coisas antes do 25 de Abril. Quando, e se, tiver filhos não me esquecerei de lhes dizer e espero que nem eu, nem eles, passemos pelo que passaram os meus pais, os meus avós, os portugueses em geral.

Com o passar do tempo, com o passar dos anos acho que as pessoas tendem a esquecer, se calhar porque as imagens e a história não é reforçada convenientemente, se calhar porque as pessoas habituam-se rapidamente ao que têm e desvalorizam o que foi, o que se passou, o que prendeu a voz de quem vivia naquela época.

Confesso que não me imagino a ter que olhar por cima do ombro sempre que que quiser dizer umas palermices, sempre que quiser criticar o que for, sempre que me apetecer dizer mal de quem manda ou, simplesmente, sempre que quiser partilhar uma ideia, contar uma história, falar de uma música, cantar uma música.

Não sei qual será a sensação de ser controlado ao extremo de nem entre amigos poder falar descansadamente, não sei como será não ter a liberdade que felizmente sempre conheci.

Há pessoas que desvalorizam, que relativizam, que passam por cima, que ignoram, que esquecem, que esquecem como era no Estado Novo, há pessoas que elegem Salazar como o melhor Português de todos os tempos, se calhar porque são parvos (e viva o 25 de Abril por me permitir chamar-lhes PARVOS), se calhar porque se riem disso, se calhar porque acham mesmo que era um grande homem, se calhar era um grande homem mas tornou este país numa camisa de forças para quem cá vivia (às vezes muito pior que uma camisa de forças) e por muito bom economista que ele fosse isso não faz dele um Grande Português, faz dele um bom economista com um péssimo sentido de liderança, de Estado e com um legado que é uma vergonha. Se calhar ganhou porque era um programa parvo e só pessoas parvas é que votaram num programa parvo, se calhar ganhou porque numa comparação idiota sem pés nem cabeça (como é que se pode comparar o primeiro Rei de Portugal com um dos melhores Poetas Portugueses de sempre? Qual é o critério? A tez? O cheiro? A poesia ou os feitos em batalha, não hão-de ser de certeza...) ganhou um idiota com pouca cabeça. Ainda para mais parece que é parvo criticar os mortos, mas ninguém os mandou morrer, se bem que Salazar deve ter mandado matar muita gente.

Enfim, hoje é 25 de Abril e é importante não esquecer, é importante recordar, mesmo quem não viveu na época pré 25 de Abril, deve tentar aprender, saber o que se passou e a partir daí não esquecer, para poder valorizar o que temos o que foi conquistado e nos foi entregue (a nós que nascemos bem depois do 25 de Abril) de mão beijada.

Portugal não é um mar de rosas, não é fácil a vida para muita gente, mas é bem mais fácil, segundo me contam e segundo eu depreendo, do que era antes do 25 de Abril.

Num tempo em que os blogs florescem e as ideias andam soltas pela net, espalhando-se mais rapidamente que as folhas com o vento, é importante lembrar-mo-nos do 25 de Abril, pois sem 25 de Abril duvido que houvesse Internet em Portugal, duvido que houvesse blogs, duvido que qualquer pessoa, como eu, pudesse escrever o que bem lhe apetecesse quando bem entendesse.

Obrigado a todos os responsáveis pelo 25 de Abril, espero que quem cá anda hoje continue a respeitar e a honrar as conquistas de Abril, sempre a pensar no melhor para Portugal e para os Portugueses e para os Imigrantes que cá vivem, que partilham a vida connosco, que fazem parte de Portugal.


Viva o 25 de Abril! Viva a Revolução de Abril!

Fascismo/Racismo/Xenofobismo/Nazismo (coisas como essas que reflectem pouco mais que ignorância da parte de quem as defende) NUNCA MAIS!

1 comentário:

rui disse...

25 de Abril, SEMPRE!