domingo, julho 02, 2006

Antigos Orfeonistas

Ontem à noite decorreu, no Grande Auditório da FEUP, o Sarau Anual da Associação de Antigos Orfeonistas da Universidade do Porto e eu estive lá a trabalhar, praticamente, todo o dia, desde a montagem, passando pelo apoio técnico durante o evento, até à desmontagem. Foi um dia bem desgastante!

Mas durante o espectáculo houve algumas coisas que me intrigaram...

Em primeiro lugar fiquei a pensar o que levaria pessoas com sessenta, ou mais anos, a formar uma tuna. Tenho para mim que as tunas são grupos Académicos que juntam pessoas que gostam de música, cerveja, tradição académica e muita rambóia, e então fico a pensar se aqueles senhores costumam beber muito e, se sim, como é que estarão os seus fígados?! Será que ainda fazem altas festas, e se sim, será que duram até depois das 22horas?! Ou então apenas gostam de música de Tuna e estão a apenas a recordar os velhos tempos, ou será que estão a recordar os novos tempos, já que velhos estão eles!

Outra coisa que me intrigou foi pensar o que levará um senhor de certa idade a ser porta-estandarte de um coro de pessoas de certa idade? É que o senhor porta-estandarte não cantava, apenas segurava no estandarte e mostrava a bandeira na altura dos aplausos... será que está no coro por causa das gajas e da rambóia?!


Não quero com este post parecer preconceituoso, apenas achei piada a estas dúvidas que me assaltaram o espírito, mas acho que todos os intervenientes estão de parabéns!

E, provavelmente, a resposta às minhas perguntas está mesmo na saudade da vida académica e no vício que deve nascer em quem faz parte de um grupo académico.

1 comentário:

weevil disse...

Nas origens do Tango, esta dança representava a relação entre uma prostituta e o homem (o seu cliente, chulo, whatever :P). Era mesmo representar, daí toda a emotividade.

Nasceu na Argentina, fruto da emigação maioritariamente europeia e africana para lá. Foi uma forma de ocupação do tempo dos emigrantes. ^^