quarta-feira, março 22, 2006

"Explicação"

É que eu tenho essa mania de ficar me explicando
que me enrola e me complica um pouco de vez em quando
É que de vez em quando eu resolvo me explicar
e se eu fico me explicando eu me complico sem parar
É que eu fico atrapalhado procurando a explicação
pra explicar por que eu me explico - e se eu não me explico, por que não
Na verdade se eu me explico sempre e sempre fico assim
deve ser alguma coisa que eu não expliquei pra mim
Ou então eu expliquei mas não entendi direito
porque não expliquei direito, porque ninguém é perfeito
Mas no fundo tem um jeito simples de simplificar
Só que o simples normalmente é complicado de explicar
É que eu explico sempre a mais e a complicação vem junto
É que eu me explico até demais e até desvio do assunto
Mas é simples: tem coisa que não tem explicação
Ou até tem, mas é melhor não explicar porque é em vão
A investida pra tentar descomplicar o complicado
ou simplificar o simples e deixar tudo explicado
só complica mais as coisas e me deixa mais confuso
vendo que na minha cabeça tá sobrando parafuso
É que as peças não se encaixam e por mais que eu sempre trave
sempre tem alguma solta e eu não encontro a chave
É por isso que eu me explico, que é pra ver se me explicando
eu acabo me entendendo um pouquinho de vez em quando
Mas por mais que eu me concentre, tem alguma coisa errada
porque tudo que eu entendo é que eu não entendo nada
Eu só sei que nada sei e a explicação tá dada.

Gabriel o Pensador, in Diário Noturno



Ontem estava à procura de um livro no meu quarto e encontrei este, Diário Noturno, do Gabriel o Pensador. Estive a reler alguns dos textos e achei que devia partilhar alguns convosco.

Este é o primeiro... provavelmente outros surgião ou amanha ou para a semana ou daqui a um mês... é conforme a minha disposição.

2 comentários:

Farinha disse...

Procurei por esse poema na net por várias vezes, e acabei achando nesse blog através da ajuda do pessoal da comunidade do pensador no orkut...


Obrigado pelo post!


Abraço!

Farinha

SimNão disse...

Realmente é um poema fantástico. Já não o lia há algum tempo e agora que o reli fiquei com vontade de reler o livro outra vez, vou fazer isso mal chegue a casa!=)

Ainda bem que pude ajudar, a cultura é alimento, e não se deve guardar só para nós. E os poemas do Gabriel são alimento de alta qualidade.

Abraço,

Simao