domingo, junho 12, 2005

Movimentos populacionais

Eram seis da manhã quando, ontem, saí da faculdade. Mas antes de ir para casa pensei em ir ter com o meu amigo João Pedro à padaria Ribeiro, dos Pinhais da Foz, ele tinha ido para lá depois de sair do Mau-Mau (onde trabalha). Estava eu a caminho pela VCI a rapar um frio incrível e parece-me ver o carro dele a passar no sentido contrário, então como estava cheio de frio e não queria chegar à padaria e ele já lá não estar, resolvi voltar para trás e passar perto de casa dele, podia ser que o apanhasse a chegar a casa.

E foi no caminho para S. Mamede, aonde o Jonas mora, que eu vi uma estranha peregrinação. Homens, mulheres, míudos e míudas, famílias, pareceu-me, caminhavam em direcção de S. Mamede. Eram seis da manhã e não achei normal, aquilo era mesmo muito estranho. Não parecia que fossem todos no mesmo grupo, porque iam separados por largos metros, mas que iam todos na mesma direcção iam. Eram seis da manhã de um domingo e estavam perto de trinta pessoas espalhadas pelo caminho que vai desde a Senhora da Hora até S. Mamede de Infesta. Se fossem todos jovens se calhar estariam a voltar da discoteca mas, como já referi, pareciam-me famílias. Se calhar estavam a ir para alguma missa, mas às seis da manhã?

Num cenário de fantasia poderiam estar todos hipnotizados a caminhar em direcção ao seu mestre, ou talvez zombies perdidos na sua não-vida! Mas provavelmente a explicação é muito mais simples. Achei estranho, quem, como eu, dorme até perto do meio dia (ou mais...) pensa que às seis da manhã toda a gente está ainda na cama, tirando talvez um ou outro membro da sociedade, cuja vida profissional implica um acordar mais madrugador.

Foi estranho, será que alguém está a mobilizar as massas populares para conquistar o mundo? Era da maneira que isto ganhava mais acção...mas é uma ideia mirabolante demais para ser verdade, é pena...

Se alguém me souber dizer aonde as pessoas iam eu agradecia. Espero é que não tivessem a dar dinheiro lá no destino, porque se assim fosse eu também deveria ter ido!

Simão

3 comentários:

_Moon_ disse...

isso era caso para o Mulder....*

Simão disse...

Bem, acho que está esclarecido...segundo a minha mãe as pessoas tavam a cumprir uma promessa a Santa Rita, uma santa que segundo a minha mãe é a Santa das Causas Perdidas!! =P

Se tava tanta gente a ir a ermesinde, S. Mamede fica a caminho, é porque há muita gente que não está para se chatear e prefere pedir coisas a uma santa=P...e dp lá vão a pé cedinho cumprir a sua promessa...

Juari disse...

Exacto, são as promessas a Santa Rita. Esses malditos passam praticamente todos os fins de semana à minha porta e fazem um barulho do caraças. Parece que não sabem que a essas horas as pessoas costumam...sei lá...dormir!

Penso que quem faz promessas e é assim tão católico devia ter um pouco mais de respeito pelos outros. E não sabes a melhor, quando eu tinha a papelaria costumavam desfazer os maços de jornais que iam entregar de manhã (antes de eu ter uma portinhola pousavam no chão quando entregavam)e espalhavam vários pela rua e levavam alguns. Um dia o meu pai ouviu o barulho e espreitou pela janela e viu-os. Vestiu-se nas calmas, e como já sabia o caminho que eles percorriam foi de carro atrás deles. Quando os apanhou agarrou o gajo pelo braço e disse para lhe dar os jornais. O gajo não deu, o meu pai abriu-lhe o casaco, tirou-lhe o jornal e espetou-lhe com ele na cara. A gaja mandou vir mas levou com um jornaleco na cabeça também e depois piraram-se. Enfim, são muito católicos.