domingo, junho 19, 2005

Raça Ariana

Na revista Pública, que acompanha o jornal Público aos domingos, de hoje vem um artigo sobre um indivíduo, de nome Mário Machado, que se assume como Skinhead e que é membro da Frente Nacional.

Li o artigo até ao fim e notei uma data de incongruências no discurso do tal Mário Machado, não vou falar de todas porque isso dava muito trabalho e perderia tempo demais, e como tenho de estudar vou só falar sobre uma coisa que há muito tempo me faz confusão, que é o facto de os Nacionais-Socialistas, em geral, defenderem a pureza da raça.

Numa parte do artigo em que a jornalista fala sobre as tatuagens que o Mário Machado tem no corpo, refere uma que diz 'Irmandade Ariana'. Pela foto que mostra dele, mesmo que de costas, nota-se que ele de loiro não tem nada, então fiquei na dúvida, será que eu estou a trocar conceitos? E então vim à internet tentar resolver esta dúvida.

Em sites de Portugal e/ou em língua portuguesa não consegui encontrar nenhuma definição de raça ariana, só quando recorri à Wikipedia (versão em inglês) é que consegui encontrar algo parecido com uma definição de raça ariana, que depois aponta para a definição de master race que é a seguinte:

The master race (German: Herrenrasse, Herrenvolk) is a concept in Nazi ideology, which holds that the Germanic and Nordic people represent an ideal and "pure race". It derives from nineteenth century racial theory, which posited a hierarchy of "races" placing African Bushmen and Australian Aborigines at the bottom of the hierarchy while white Europeans were at the top. This concept is similar to that of the White supremacy movement.

The origins of the Nazi version of the theory of the master race were in 19th century racial theories of Count Arthur de Gobineau, who argued that cultures degenerate when distinct races mix. It was believed at this time that southern European peoples were racially mixed with non-European Moors from across the Mediterranean, while Northern Europeans remained pure. Hence, in Nazism the racial ideal was the blond blue-eyed Nordic individual. Slavs and Eastern Europeans were regarded as a degenerate Aryan stock.

The term Aryan race was commonly used to name this ideal. The postulated superiority of these people was said to make them born leaders, or a "master race". Other authors included Guido von List (and his associate Lanz von Liebenfels) and British Houston Stewart Chamberlain, all of whom felt that the Germanic race was superior to others, and that given the purification of the German people from the races who were "polluting" it, a new Millenarian age of Aryan god-men would arrive.


Isto é só parte da definição que lá está, mas a parte que me interessava verificar era esta, in Nazism the racial ideal was the blond blue-eyed Nordic individual, mediante isto acho que é preciso uma sorte dos diabos, para um português, conseguir entrar nesta definição. Se há pessoas que defendem a supremacia da tal raça ariana e nem sequer se encaixam nesses parâmetros, algo está mal naquelas cabeças (novidades?...), se calhar não são assim tão superiores, como julgam, e dizem, ser.


Para além desse contraste óbvio entre a realidade e a cabeça desses senhores resta-me divagar sobre a superioridade da tal raça ariana.

Enquanto procurava na internet pela definição encontrei um ou outro site em que se discutia sobre a raça ariana e li algo que achei bem verdade, não vou citar porque dá trabalho procurar o site, vou só escrever as ideias básicas.

Se um homem branco tiver um filho com uma mulher preta, qual será a cor da pele do rebento? (na maioria dos casos..)
Se uma mulher de olhos azuis tiver um filho com um homem de olhos castanhos, qual será a cor dos olhos do rebento? (na maioria dos casos..)
Se um homem nórdico tiver um filho com uma mulher latina, qual será a cor da pele do rebento? (na maioria dos casos...)

Acho que as respostas a estas perguntas são bastante simples e o ponto aonde eu quero chegar é: Se há alguma superioridade entre raças será na força dos genes, se essa superioridade genética existir, acho que a raça preta vence aos pontos...mas a genética é um acaso, uma determinada característica genética não pode ser sinónimo, generalizado, de superioridade entre indivíduos, a não ser que nasça agora, de repente, um bando de Super-Homens...quem pensa o contrário devia ter estado mais atento às aulas e devia ter desenvolvido melhor o seu pensamento.

Toda a gente tem direito à sua opinião, mas há certas opiniões, que eu acho, que ninguém deveria ter, já que denotam um bocado (por vezes, muito!) de ignorância. Como o exemplo que eu referi, alguém moreno de olhos pretos aceitar que existe uma raça superior, de indivíduos loiros de olhos azuis, não é mais do que se menosprezar a si próprio.

Simão, completamente contra racismos, fascismos, xenofobias e nacionalismos cegos...

Palavras que eu pesquisei e que verifiquei na Wikipedia:
-Aryan;
-Aryan race;
-Master race;

9 comentários:

Mata Nazis disse...

Nazis de Merda, Nazis não....Pseudo-Nazis porque de Nazis não têm NADA!!!!
será que não percebem que somos Latinos Caralho!!!!! mas qual raça ariana Caralho!!!! fodassss Burros do caralho!!! Nazis No Brain!!!

Um Bom Nazi é um Nazi Morto!

Anónimo disse...

se calhar se se dessem ao trabalho de fazer algo na vida , iriam começar a ver que o movimento quer criar uma utopia , defende a raça natural da europa ( ariana) e nao a mistura de raças que trouxeram , e se felaste de latinos vindo do latim fica sabendo que a maior parte dos romanos eram arianos latinos são os da america central que sao uma completa mistura de raças , .. e ao criar a utopia ia fazer com que as pessoas nao se sentissem discriminadas pois o meio onde se moviam era igual .

Anónimo disse...

apoiado deutchland ewarche

Anónimo disse...

tens rasao mata nazis os nazis sao um povo que nao servem para nada so para fingir que madão vamos matar todos os nazis e todos os skinds.

ass: pcp

soniarj disse...

Uma das causas mais freqüentes de mágoas está no falar demais e sem pensar. Quando se percebe o problema já está criado, a ofensa já foi proferida ou a injustiça cometida.


Observar a oportunidade adequada para falar também é importante. Ainda que você esteja certo, esteja atento para não desperdiçar a verdade falando em momento inadequado, na presença de pessoas que não deveriam ouvir sobre o assunto ou em situação onde há evidente descontrole emocional.


As palavras usadas merecem um cuidado especial. Ironia e sarcasmo devem ser evitados. Palavras que contenham conteúdo ofensivo, agressivo, palavrões e expressões chulas não devem fazer parte da conversa que temos com qualquer pessoa, muito menos com os de casa. A formação moral e social de qualquer indivíduo inicia-se em casa.


A palavra torpe, inadequada e ofensiva deve ser substituída por palavras que causem um impacto positivo na vida das pessoas. Mais do que evitar palavras torpes, a sabedoria está em aprender a usar as palavras capazes de causar bem aos outros.


Para usar palavras edificantes é preciso, em primeiro lugar, avaliar as motivações, os desejos secretos do coração. Onde você pretende chegar com a discussão? Qual seu objetivo?

Alguns exemplos de objetivos e motivações torpes:


1. Humilhar o outro
2. Prevalecer a qualquer custo
3. Egoísmo
4. Provar que é melhor ou mais inteligente que o outro
5. Irritar o outro
6. Desprezar o outro

Quando conversamos apoiados em motivações erradas estamos abrindo oportunidade para incorporar ao relacionamento sentimentos de dor, de injustiça, de tristeza e ingratidão.

Afastadas as motivações erradas, pode-se focalizar no grande objetivo da comunicação: valorizar o outro e gerar entendimento.


As palavras proferidas, então, originam-se do interesse sincero de edificar o outro, fortalecê-lo, construir uma relação em que haja crescimento e amadurecimento.


Palavras motivadas positivamente são como bálsamo para as relações humanas. Em Provérbios vamos encontrar que palavras suaves são como favos de mel, doçura para a alma e saúde para o corpo. (Provérbios 16: 24). Isto mesmo: palavras proferidas com o intuito de edificar e ministrar graça às pessoas, são palavras que contribuem para a saúde das pessoas, cura ferida da alma e ergue aqueles que estão abatidos.


Aproveite bem suas palavras para edificar e ministrar graça à vida dos seus familiares, dos seus amigos e irmãos e estrangeiros. Exorte, elogie, encoraje, incentive, valorize, estimule, dê apoio, contribua para que os outros cresçam e se sintam bem.

... disse...

Você aprendeu na Globo que arianos são só loiros de olhos azuis?

Minha filha, em primeiro lugar, vai aprender a definição certa de raça ariana, utilizada pelo Nazismo e pelas Leis de Nuremberg, com exemplos de antropometria http://secastan.wordpress.com/2010/04/29/raca-ariana/

"será que não percebem que somos Latinos Caralho"

Esse MATA NAZI é só mais um comédia confirmando a SÁTIRA DO ESTEREÓTIPO DE UM ANTI NAZISTA, defecando pérolas pela boca.

1) Eu sou tão "Latino" quanto um filho de alemães nascido no Japão é um oriental de olho rasgado, ou tão Latino quanto o paranaense Egon Albrecht, herói da Luftwaffe.

2) Mesmo que TODOS aqui fossem Latinos, não haveria nenhum problema, você aprendeu na Globo que o Nazismo é contra Latinos?

Latinos são um povo indo-europeu, descendente dos hiperbóreos, e do mesmo ramo linguístico e racial que os germânicos, vá estudar Antropetria, seu pardo.

Esqueceram de avisar pra Itália de Mussolini, e pra Espanha de Franco, que o Nazismo é "contra Latinos", lol

Doi pra um pardo mestiço saber que enquanto existem brasileiros pardos, mestiços e excluídos do Nazismo, como esse 'MATA NAZI', também existem brasileiros considerados brancos e arianos, como Egon Albrecht.

Aí tem que recorrer a ilusões pra se sentir 'menos pior' por ser excluído, vivendo da ilusão de que todos são como ele. A psicanálise explica.

Pesquisa a SÁTIRA DO ESTEREÓTIPO DE UM ANTI NAZISTA no Google, seu pardo, tenho certeza que vai se identificar.

Confirma mais a sátira ai "dããã Latinos" haha mongoloide

... disse...

A Sátira foi escrita a mais de dois anos e sempre aparece um mongoloide pra confirmar, hehe.

“Mamãe, tudo que eu queria ter era sangue europeu, uma história gloriosa de vitórias e conquistas no meu sangue assim como os descendentes de alemães que tem 3 Reichs e duas guerras mundiais no sangue pra se orgulhar.. mas eu não sei o que sou vivo o multiculturalismo sem identidade étnica própria, sou contra o Nazismo pq não seria aceito por ele mamãe!

Mamãe sou daqueles idiotas que dizem que não existem brancos no Brasil, aprendi isso na Globo, será que Egon Albrecht, nascido no Paraná e herói da Luftwaffe não era ariano mamãe??

Sou um boçal que acha que apenas loiros de olhos azuis são arianos, não sei nada sobre antropometria ou leis de Nuremberg, não sei o que é Volksdeutsche, mas mesmo assim adoro falar que fulano não é ariano…

Eu chamo um filho de alemães nascido no Brasil de Latino, será que um filho de alemães nascido no Japão se torna oriental racial também mamãe? Aliás, eu aprendi na rede Globo que nazismo odeia latinos, e esqueço que o III Reich se aliou com a Itália e que alemães lutaram na guerra civil espanhola e os espanhóis retribuíram enviando milhares de voluntários para lutar contra os comunistas no Ostfront pelo exército alemão..realmente o Nazismo odeia Latinos mamãe…

Eu chamo loiros de olhos azuis e com sobrenome alemão de ‘Tupiniquim’, tentar atribuir a alguém uma coisa que ele nao seja é o jeito que eu tenho para me sentir menos pior por ser um lixo racial…

Aprendi na Globo que no Brasil só tem miscigenados, mas sou um caipira que nunca esteve em uma colônia alemã ou italiana no Sul, e também não seria homem pra falar isso na frente dos colonos..sou um lixo racial e acho que todos são tbm são…

Aprendi com minha professora comunistazinha maconheira, e também na Globo, que o Nazismo é do mal, bonzinhos são os comunistas que mataram mais de 100 milhões d pessoas na URSS, China, Cuba,etc, bonzinhos também são os americanos, que não fazem guerra por ideal, só por dinheiro, matando milhões por ganância no Iraque, Afeganistão, Vietnã, Koreia, bonzinhos também são os israelenses, que matam palestinos desarmados e roubam nosso país mamãe…

Sou frustrado, pois enquanto alguns ‘brasileiros’ com Egon Albrecht e outros com sangue alemão puro e arvore genealogica foram aceitos pela Alemanha, eu seria excluído e tratado como lixo.. sou contra pq não seria beneficiado pela vitoria alemã….. Sou contra o Nazismo pela internet mamãe, mas quando passo por skinheads é de cabeça baixa e com carinha de bunda..

ãããã Latino mamãe

MAMÃE, SOU ANTI NAZISTA”

... disse...

MATA NAZI, Latinos são Espanhóis, Italianos, Portugueses, Franceses.

Você não é Latino, é só um pedaço de merda sem raça definida, com nariz chato de primata, e que se sente 'menos pior' vivendo da ilusão de que todos aqui são como você, hehe.

SimNão disse...

Senhor "..." não traga para aqui os seus preconceitos se faz favor.