quarta-feira, maio 11, 2005

Buraco Negro

Fui ontem à noite ver a peça Buraco Negro no Grande Auditório da FEUP.

Algo que me agradou mal cheguei ao auditório foi ver a quantidade de público que estava presente, o auditório não estava cheio mas estava bem perto disso! Na última vez que estive num evento naquele espaço tinha sido para assistir a um concerto de piano de um amigo meu e a sala estava muito mais vazia, não pela qualidade do artista (que é sem dúvida um bom artista!) mas pela fraca prestação do Comissariado Cultural da FEUP em termos de publicitação dos seus eventos. Talvez por, neste caso, o grupo de teatro da FEUP, Engenharte, ter tomado conta da publicidade e desta ter sido feita com alguma antecedência as coisas foram diferentes e as pessoas apareceram para ver a peça, mesmo sendo à noite e perto da época de exames!

A peça em si é um bocado confusa no início (principalmente para quem não leu a Sinopse disponível à entrada) mas com o passar dos minutos e das cenas vai se tornando mais compreensível e interessante. É uma peça com uma grande dinâmica que não deixa o público adormecer prendendo-lhe a atenção, tem momentos com bastante piada e diálogos muito interessantes. No palco estão de uma a sete raparigas, que representam a mesma mulher em estados de alma e, por vezes, de tempo diferentes, e de um a três rapazes, que representam um só homem também em diferentes estados.

Alguma da confusão inicial é mesmo devida ao número de actores e à forma como estão estruturados os diálogos, a princípio não se percebe mas quando se percebe gosta-se, pelo menos eu gostei.

É também giro ver que alguns dos actores são pessoas que eu já conhecia e que, na maioria dos casos, não fazia ideia que estavam no grupo Engenharte.

Simão

PS: Isto não é uma análise imparcial da peça é apenas a minha opinião =).

2 comentários:

milocas disse...

Ora, parece que me lês os pensamentos...lol

É pena que a peça não fique por mais tempo...hoje não sei se vai dar pra ir ver, mas de qualquer forma, obrigada por comentares a peça, antes que to perguntasse...

Parece deveras interessante... e lamentavelmente não posso afirmar com certezas que irei apreciá-la...

P.S.- Parece que estou a ficar leitora assídua deste meio (mas maesmo assim não consegui ser a nº200 :-(( ), sinal de que é bom e viciante.. *

Cláudio Alves disse...

Estava à espera de melhor... mas, ainda assim, gostei bastante da peça. Um abraço.